ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL PERSONALIZADO

O acompanhamento nutricional personalizado no consultório somente trará resultados positivos se houver continuidade na adesão ao tratamento. Para isso, é necessário comparecer às consultas nos horários marcados. Quando não for possível comparecer, é sempre bom avisar com, pelo menos 24 horas de antecedência. Você será sempre bem vindo!

Seja Bem Vindo!

O NÚCLEO DE SAÚDE INTEGRAL é uma clínica de Nutrição e Psicologia. Temos uma equipe de Nutricionistas e Psicólogos que tem um compromisso com a saúde de forma integral, buscando equilíbrio entre o corpo e a mente.

Este é um espaço que divulgaremos artigos importantes na Nutrição e Psicologia e estamos abertos aos questionamentos. Entendemos que o conhecimento científico, além de universal é dinâminco.

Este espaço também é seu.

Participe!



Dra. Márcia Mônica Ferreira

Nutricionista



Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ALIMENTAÇÃO PARA O PACIENTE RENAL

Os procedimentos da hemodiálise determinam condições que exigem orientações dietéticas específicas para manter ou melhorar a condição nutricional dos pacientes. A dieta deve ser variada e equilibrada, para evitar perda de peso, o que pode trazer sérias conseqüências.
A mudança de hábitos alimentares ajuda no tratamento e na qualidade de vida. A adesão da família é fundamental para uma dieta adequada.

Na sua dieta é importante controlar:
• Quantidade de líquidos;
• Ingestão de sal;
• Potássio;
• Fósforo;
• Proteínas.
CONTROLE DOS LÍQUIDOS

A quantidade de líquidos depende da quantidade de urina que os rins ainda produzem em 24 horas. Recomenda-se apenas 500 mL de líquidos por dia para o paciente que não urina nada. Para o paciente que ainda urina, indica-se 500 mL + a quantidade que ele urina em 24 horas. Para saber se está controlando bem a quantidade dos líquidos fique atento ao ganho de peso entre as diálises, que não deve ultrapassar dois quilos. Além da água, refrescos, sopas e iogurtes, também considere a gelatina e o mingau como líquidos.
Quando a quantidade de água no corpo é grande pode provocar edema (inchaço), mais comum nas pernas, e até mesmo acumular-se nos pulmões, acarretando em edema agudo de pulmão.


Dicas para aliviar a sede:

1. Coma pouco sal e evite alimentos embutidos;
2. Chupe uma pedra de gelo;
3. Bocheche com água gelada e não engula.

INGESTÃO DE SAL

O consumo de sal deve ser moderado, principalmente para pacientes hipertensos, pois como os rins não estão funcionando normalmente, ocorre o acúmulo de sal e água no organismo, levando ao aumento da sede e podendo ocasionar edemas (inchaços). A quantidade de sal que você poderá utilizar deve ser discutida com seu médico e/ou nutricionista, pois depende da sua pressão arterial e/ou inchaço.
Não utilize sal diet ou light, pois contém alta concentração de potássio.

Dicas para melhorar o sabor das refeições com pouco sal:

1. Use temperos como cebola, alho, pimentão, coentro, cebolinha, tomate ou ervas como manjericão, alecrim ou orégano.
2. Azeite de oliva e vinagre também podem ser utilizados.
2. Evite alimentos ricos em sal como embutidos (lingüiça, salsicha, presunto, salame, mortadela), molhos prontos e conservas.

POTÁSSIO

Pacientes renais devem controlar a ingestão de alimentos ricos em potássio, em especial os que urinam pouco, pois a excreção renal do potássio se faz de maneira lenta e o excesso pode provocar batimentos cardíacos irregulares e até parada cardíaca.

Dicas para reduzir o teor de potássio:

• Feijão ou outras leguminosas como lentilha, soja e ervilha, devem ser consumidas não mais que 2 a 3 vezes por semana e apenas 1 vez ao dia;
• Quando for preparar o feijão, antes de temperá-lo, cozinhe-o apenas em água por 10 minutos na panela de pressão, ou 30 a 40 minutos em panela comum e em seguida despreze a água. Só então tempere o feijão, coloque nova água e termine de cozinhar. Evite utilizar feijão no preparo das sopas;
• Despreze sempre a água do cozimento dos legumes e/ou vegetais, que devem estar descascados, picados e cobertos com bastante água.
• Evite salada crua e/ou legumes cozidos a vapor;
• Pirão e escaldados só podem ser preparados com caldo das preparações que não tenha sido cozido nenhum legume e/ou verdura, que devem ser cozidos separadamente e desprezado a água, como foi descrito anteriormente. Evite tomar caldos concentrados (caldo de feijão, sururu, camarão);
• Se consumir frutas, consuma apenas 3 vezes por semana antes da sessão de hemodiálise. Evite banana, mamão, jaca, frutas secas ou cristalizadas;
• Prefira sucos mais diluídos (refrescos) de frutas com baixo teor de potássio;
• Não faça uso de chá preto ou mate, água de coco e caldo de cana;
• Prefira refrigerante de limão ou guaraná, pois tem menor teor de potássio e fósforo.

Frutas com pouco potássio: Vegetais com pouco potássio:
Abacaxi, caju, maçã, melancia, laranja-lima, pêra, lima e limão.
Berinjela, brócolis, agrião, couve-flor, cebola, cebolinha, alface, chuchu, pepino, quiabo, repolho, vagem, salsa e alho.


Frutas com muito potássio: Vegetais com muito potássio:
Banana, laranja, mamão, morango, goiaba, manga, uva, abacate, maracujá, melão, jaca, jenipapo, umbu, cajá, acerola. Acelga, aipim, batata doce, batata inglesa, beterraba, cenoura, ervilha, espinafre, palmito, rabanete, abóbora, tomate.


Atenção: Não consuma CARAMBOLA, pois é tóxica para pacientes renais.

FÓSFORO

O fósforo é um mineral que junto com o cálcio ajuda a manter os ossos saudáveis. Os rins têm importante papel na manutenção das quantidades adequadas de fósforo e cálcio no organismo. No paciente com insuficiência renal, como os rins não funcionam adequadamente, o equilíbrio entre esses dois minerais está prejudicado. Assim, a eliminação de fósforo pela urina diminui acumulando-se no sangue e podendo até causar calcificação no seu corpo. Além disso, a hemodiálise não retira todo o fósforo acumulado no sangue necessitando, portanto, de controle na ingestão alimentar do fósforo, associado muitas vezes ao uso de medicamentos (quelante de fósforo).

O que é calcificação?

É o endurecimento de articulações, órgãos e vasos sanguíneos, devido ao acúmulo de quantidades elevadas de cálcio e fósforo no sangue. Altos níveis de fósforo no sangue facilitam a retirada de cálcio dos ossos. Esta situação de desequilíbrio dos dois minerais pode levar à doença óssea.

Sinais da calcificação:
• Olhos avermelhados;
• Coceira ou lesões na pele;
• Calcificação de tecidos moles como vasos sanguíneos, coração e pulmões;
• Dores, enfraquecimento e quebra dos ossos.

Dicas para reduzir o teor de fósforo:

• Alimentos como leite, queijo e iogurte são ricos em fósforo, por isso consuma não mais que duas porções destes alimentos por dia;
• Consumir feijão ou outras leguminosas como lentilha, grão de bico ou ervilha apenas uma vez por dia;
• Evitar o consumo de oleaginosas como castanha, nozes ou amendoim e chocolate;
• Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, principalmente a cerveja e as bebidas com frutas (roska, coquetel, etc.);
• Evitar refrigerantes a base de cola (coca-cola, pepsi-cola, skin-cola);
• Evitar consumir embutidos (calabresa, linguiça, salsicha, presunto, etc.), vísceras (fígado, bofe, rim), miúdo (coração, moela), mariscos, camarão e sardinha.




O que é e como age o quelante?

O quelante é um medicamento que tem a função de evitar que o fósforo do alimento vá para o sangue. Ele se liga ao fósforo presente no alimento, sendo eliminado através das fezes.


Tipos de quelantes:

• Carbonato de cálcio;
• Acetato de cálcio;
• Sevelamer (Renagel);
• Hidróxido de alumínio.


Dicas para utilização do quelante:

• A quantidade e o tipo de quelante que deverá ser tomado vai depender da orientação do médico ou nutricionista;
• NÃO ESQUEÇA QUE O USO DO QUELANTE DEVE SER DIÁRIO E DURANTE AS REFEIÇÕES RICAS EM FÓSFORO;
• carne, frios ou preparações à base destes alimentos, como, por exemplo, pudins, coxinha de frango, pastel de queijo ou carne, pizza, etc.;
• O quelante pode e deve ser tomado durante os lanches da diálise no INED.
• Prefira concentrar os alimentos ricos em fósforos no máximo em 3 refeições;
• Não esqueça de tomar o quelante caso você coma algum tipo de lanche fora das refeições habituais, que contenha leite, queijo, carne, frios ou preparações à base destes alimentos, como, por exemplo, pudins, coxinha de frango, pastel de queijo ou carne, pizza, etc.;
• O quelante pode e deve ser tomado durante os lanches da diálise no INED.

PROTEÍNA

O paciente em diálise necessita de alimentos protéicos na dieta, pois são indispensáveis para funções como construir, reparar e manter todos os tecidos. Esses alimentos quando consumidos em excesso, pode resultar no aumento da uréia, ocasionando náuseas, vômitos, sangramento e falta de apetite. Contudo, se você consumir pouca quantidade de proteína, poderá desnutrir-se, aumentando a chance de infecções.
Prefira proteínas de origem animal como carne, frango, peixe, clara de ovo, porque possuem proteína de melhor qualidade, por isso acrescente sempre que possível esses alimentos em outra refeição além do almoço. Não esqueça que os alimentos protéicos são ricos em fósforo, sendo importante tomar o quelante durante essas refeições.

INFORMAÇÕES EXTRAS NECESSÁRIAS AO TRATAMENTO:

MEDICAMENTOS USADOS POR PACIENTES EM
HEMODIÁLISE:

- Vitaminas:
Algumas vitaminas perdem-se durante a diálise, principalmente as solúveis em água (complexo B, vitamina C e ácido fólico). A ingestão diárias de vitaminas repõe seus níveis no organismo.

- Acetato ou carbonato de cálcio:
Fornece um suplemento de cálcio, além de reduzir a absorção do fósforo, evitando a doença óssea do paciente renal.

- Renagel:
Reduz a absorção do fósforo contido nos alimentos.

- Ferro (Noripurum):
Fornece um suplemento de ferro para melhorar a anemia.

- Eritropoetina (Tinax, Heprex, Hemax):
Aumenta a produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea e melhora a anemia.

- Vitamina D ativada (Calcitriol, Rocaltrol, Sigmatriol):
Aumenta a absorção intestinal de cálcio e melhora a mineralização dos ossos.

- Anti-hipertensivos:
Os pacientes com hipertensão arterial que não diminui após a sessão de diálise necessitam de medicação para controlá-la.
# O médico indicará quais medicamentos são mais adequados para cada paciente.
# É importante saber que alguns medicamentos, com exceção das vitaminas, podem ter seu uso suspenso em alguns meses, sendo importante ficar atento à receita mensal.


O RIM E A ANEMIA:

O rim produz um hormônio chamado eritropoetina (EPO), que estimula a produção de glóbulos vermelhos do sangue. O mau funcionamento dos rins diminui a formação desse hormônio. Além disso, existem outros fatores que contribuem para o aparecimento ou piora da anemia, tais como perda de sangue, infecção, hiperparatiroidismo e diálise inadequada, entre outros. A anemia provoca sintomas como cansaço, indisposição, fraqueza ou tontura.

Como tratar:

O tratamento da anemia deve ser feito com a reposição de eritropoetina, ferro, complexo B e ácido fólico. Sua participação é fundamental para o sucesso do tratamento. O complexo B e o ácido fólico devem ser tomados diariamente. Além de serem importantes para a produção de sangue, essas vitaminas também ajudam a evitar doenças do coração. Lembre-se de tomá-las, pois várias complicações da insuficiência renal estão associadas à presença da anemia. Tratando corretamente a anemia você sentirá maior disposição para o trabalho e estudos, para caminhar ou mesmo fazer exercícios. O tratamento correto da anemia melhora muito a sua qualidade de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário